quarta-feira, 9 de agosto de 2017

A importância do estímulo para aprendizagem

*Nanci Araújo de Souza Oliveira
Aluno do Colégio Renil durante atividade esportiva, 
trabalho que estimula o desenvolvimento e o aprendizado da criança.

O estímulo pode ser entendido como a relação dinâmica da ação: é o leva a criança a agir, ou seja, o que o leva a iniciar uma ação, é indicar em função de objetivos estabelecidos, a decidir seu prosseguimento e finalização. O processo que mobiliza o organismo para a ação, a partir de uma relação estabelecida entre o ambiente, a necessidade e o objeto de satisfação. Para que ocorra o processo de aprendizagem a criança necessita de repetidos estímulos carregados de ritmo e constância.  Isso vai contribuir para uma mudança no padrão vibratório do pensamento e a aprendizagem se processa. Quanto mais forte e rico for o estímulo, maior é a vibração e consequentemente a absorção do conhecimento.

É necessário que o professor conheça os fundamentos da aprendizagem e as principais teorias sobre estímulos, só será capaz de estimular seu aluno quem realmente conhece como ele aprende. A boa formação do professor e sua visão de mundo são determinantes, aliado às suas atitudes em sala de aula e à organização do ensino. Para estimular os alunos a estudar e aprender, o professor utiliza recursos ou procedimentos incentivadores. Esse recurso deve ser usado não somente no inicio da aula, mas em todo decorres dela. Estímulos são importantes em todas as faces da aprendizagem, e não somente no momento inicial.   

A estimulação à aprendizagem deve ter inicio a partir do nascimento da criança, pela sua família, ou quem quer que esteja encarregado dos cuidados da criança, para que aconteça um aprendizado saudável e prazeroso. Elogios, palavras amorosas são estímulos capazes de garantir a autoestima, a autonomia e a independência do individuo na vida adulta.      

O maior estímulo que uma criança pode ter no seu processo de aprendizagem é o educador. Diante de um estímulo forte o educador desperta sua motivação, ativando experiências significativas vivenciadas por ele. É necessário que o em seu íntimo uma ressonância em relação ao que lhe está sendo oferecido, o estímulo pode desperta o interesse, que só no futuro converterá em experiências.

Muitas crianças vêm de lares que não acontece o estímulo por parte da família. Para eles é na escola onde se esclarece as significações de mundo, a escola é a ferramenta necessária para a estimulação destes, quanto a linguagem, o brincar e os movimentos. O professor entendendo que a criança é um ser único e individual, eles precisam trabalhar estas diferenças, organizar materiais interessantes à faixa etária.

Estimular atividades com brincadeiras servem para desenvolver a imaginação, e a imaginação, e a experimentação global do corpo e as brincadeiras que utilizam objetos que estimulam ao toque onde a criança percebe e diferencia diversos tipos de texturas, tamanhos e forma, auxiliando da motricidade fina.

Para que a criança seja estimulada há que se criar um vinculo de afetividade com ela, o professor precisa criar esse vinculo preciso ser traçado cuidadosamente para que consiga o objetivo principal da educação, que é o desenvolvimento do indivíduo como um todo, cognitivo, afetivo e motor.   

É preciso saber observar quais são o nível da criança em relação às aprendizagens, aos jogos as brincadeiras e demais situações a que ela seja exposta é demasiado importante para que não perca o gosto por aquilo que vem fazendo. Como já sabemos que o professor que o professor é o maior incentivador, ele deve demonstrar segurança, pois, quanto maior a segurança e o estímulo maior será a motivação para aprender.

*Nanci Araújo de Souza Oliveira é professora no Colégio Renil em Mauá.

0 comentários:

Postar um comentário